Making off # 12

Confesso que quando me apresentei como carioca do Rio Vermelho, ainda estava muito mais carioca do que “do Rio Vermelho”. Olhava para meu bairro com o olhar do Baixo Leblon, da boemia carioca. Os bares cheios, engarrafamento sexta à noite… Andar a pé, nem pensar! Só andava de carro, paisagens de passagem, apressadas, lindas, fugazes… Descendo a Prudente de Moraes (que no Rio fica em Ipanema), quando o sinal fecha é maravilhoso: o mar, a colônia dos pescadores, os barcos, de repente cai a ficha. Isto é Salvador, e é lindo! Como quem estava flutuando e de repente aterrissa, comecei a caminhar pelas ruas do bairro, seus bequinhos, lojinhas, restaurantes, casario antigo e recente, todo tipo de gente… Tomamos muita chuva, e eu, que nem sou católica, fui acolhida pela Igreja de Santana. E os pescadores, que antes eram invariável paisagem, agora viraram gente. Não daquele tipo mentiroso, que se diz por aí, mas gente aberta, disposta, simples, de hoje que enfrentam o mar, alguns até parecem salmoura. Alguns passam a semana no mar, terra só pro descanso (bem, não só pro descanso…). Aqui neste bairro, se querem saber, tem até cientista, daqueles condecorados na Europa e Estados Unidos. É o dr. Ricardo Chemas, médico e neurocientista, pesquisador e compositor, e não sei mais o que este gênio inventa! Tirando os famosos e brilhantes, o povo aqui é festeiro, a vizinhança ainda se reune para fazer uma festa na rua, com músicos locais e comida caseira. Tem a praça da cruz (que ninguém sabe o nome, pode perguntar a qualquer um, que vai dizer “praça da cruz, oxi”), onde se reunem palhaços, malabares, capoeiristas, evangélicos, católicos, vizinhos, mendigos, bandas de rock ensaiando, e o que mais aparecer. Este é o Rio Vermelho, cabe todo mundo, pode dizer sua fala, diversidade aqui é tudo de bom. Valeu sair por aí fotografando e conversando. Afinal fiz um link com esta terra.
Angela Merice

Published in: on julho 1, 2009 at 8:35 pm  Deixe um comentário  

Dorival Caymmi – O Bem Do Mar

Published in: on junho 28, 2009 at 3:37 pm  Deixe um comentário  

Making off #5

Published in: on maio 28, 2009 at 12:25 am  Comments (1)  

Making off #4

Símbolo de proteção

Símbolo de proteção

O pescador e seus amores um bem na Terra um bem no mar

O pescador e seus amores um bem na Terra um bem no mar

A garagem dos barcos

A garagem dos barcos

Mar revolto
Mar revolto
Arte mística

Arte mística

Quadro

Quadro

Parando o trânsito para apreciar a beleza
Parando o trânsito para apreciar a beleza
Enfim Sol
Oferenda à Yemanjá

Oferenda à Yemanjá

Published in: on maio 21, 2009 at 12:38 am  Deixe um comentário  

Making off #3

Av. Cardeal da Silva

Av. Cardeal da Silva

Largo da Mariquita

Largo da Mariquita

Ao fundo, o Morro do Conselho

Ao fundo, o Morro do Conselho

Estas são fotos de fotos do livro “BAHIA – Velhas Fotografias 1858/1900”, de Gilberto Ferrez. No dia 16/05, nos encontramos (Cira, Hannes e eu) na colônia dos pescadores do Rio Vermelho. Como da outra vez, choveu torrencialmente, mas conseguimos um “habeas corpus” de São Pedro e fizemos algumas fotos na região. O tempo fechava, parecia fim de tarde, e logo depois abria um céu azul brilhante. Fiz algumas fotos sem nenhuma regulagem. Espero que possa aproveitar algumas desta série.

Vista: Igreja de Santana e colônia de pescadores

Vista: Igreja de Santana e colônia de pescadores

Vermelhos fresquinhos

Vermelhos fresquinhos

Casa do peso

Casa do peso

Obra de Bel Borba

Obra de Bel Borba

Foz

Foz

O Rio das Tripas

O Rio das Tripas

IMGP2137

Morro do Conselho

Morro do Conselho

Em frente ao Mercado do Peixe

Em frente ao Mercado do Peixe

IMGP2112

Para Iemanjá

Para Iemanjá

Entrada de uma casa

Entrada de uma casa

IMGP2148IMGP2149

A rainha da área

A rainha da área

Published in: on maio 20, 2009 at 1:36 pm  Deixe um comentário  

Making off 2

Na tentativa de colaborar com o grupo, planejei de forma individual registrar algumas fotos da região da colônia dos pescadores, daí, desloquei-me de minha casa com a máquina fotográfica . Chegando no local, resolvi, com o carro em movimento registrar as fotos. O que aconteceu? Resolvi parar no meio da avenida, fiquei admirando as cores das paredes da casa dos pescadores e posicionando a máquina fotográfica… abstraida na acão,  percebi então o buzinaço intenso dos carros atrás de mim. Enfim,  me dei conta que estava  provocando um bruto congestionamento, e assim só consegui uma foto, muito mal batida, devido a minha irritação com os estressados do transito. Este é mais um episódio hilárico no processo de construção de nosso tarbalho.

Published in: on maio 14, 2009 at 12:30 am  Deixe um comentário  

Making off #1

Sábado chuvoso, marcamos encontro no estacionamento ao lado da Igreja de Santana, junto à colônia de pescadores. Eu (Angela) cheguei primeiro e fiquei no carro, pois chovia torrencialmente. Daqui a pouco chegou Luciana e entrou rapidamente no carro. Logo, Cira também. Enquanto esperávamos Pedro, a conversa foi ficando calorosa, a ponto de embaçar todos os vidros. Pedro chegou e não nos viu. Ficou um bom tempo sob uma cobertura, tomando chuva de vento, e molhando o humor. Por fim nos vimos e fomos ao  prédio onde mora o pai do Pedro, no alto do Rio Vermelho, de onde conseguimos fotografar a colônia de pescadores e ver uma bela paisagem …secos! Enquanto isso, no prédio ao lado, um senhor se atirou e/ou caiu junto à piscina, dando um tom trágico ao sábado.

Published in: on maio 14, 2009 at 12:29 am  Deixe um comentário